Agricultor familiar terá crédito para comprar moto

Motos têm sido bastante utilizadas nas produções agrícolas (Foto: Divulgação)
Produtores da agricultura familiar terão facilidade de financiamento na compra de motocicletas, a partir de 1º de julho. Acordo de cooperação técnica para o crédito foi assinado nesta quinta-feira (17), em São Paulo, entre o governo federal e a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e similares). 
 
Atualmente, quadriciclos, motores de popa e motores estacionários usados para transportar geradores de energia e moagem já são adquiridos pelo produtor rural por meio de linha de crédito especial. 
 
Segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, o uso mais comum da motocicleta, na lavoura, é na substituição da tração animal. Elas são usadas em aragem, inspeção, pulverização, transporte de rações, água, sementes e distribuição de adubo. E os quadriciclos têm papel importante no apoio ao transporte de máquinas agrícolas para pulverização ou no carregamento da colheita e semeadura, com a vantagem de ter alta capacidade de tração. 
 
O secretário especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, Jefferson Coriteac, informou que a linha de crédito para motocicletas ficará em vigor até o dia 31 de dezembro de 2021. Segundo Coriteac, o governo tomou cuidado para que não ocorram desvios da finalidade no uso das motos. "São motos adaptadas para o manuseio na área rural, tocar o gado, fazer outras atividades", disse, citando a substituição da tração animal. 
 
De acordo com o secretário, outra finalidade do programa é combater o êxodo rural. "Queremos que o jovem do campo fique no campo. Que seus filhos criem seus filhos, seus netos e que a vida continue no campo", disse ele. 
 
 
Financiamento – O crédito para a compra de motocicletas será disponibilizado pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), linha do Banco do Brasil. O financiamento tem prazo de até 10 anos, carência de três anos e taxas de juros que variam de 2,5% a 5,5% ao ano. O secretário especial calcula que, aproximadamente, 4 milhões de famílias estejam cadastradas do programa.
 
O montante da linha de crédito será anunciado apenas no lançamento do Plano Safra, no dia 6 de junho. "Manter os R$ 30 bilhões [valor do ano passado], para nós, já é de grande importância. O Ministério da Fazenda, com o problema e a crise pela qual o país passou no ano passado, tinha intenção de reduzir esse valor. Nós estamos brigando para que mantenha. A Fazenda nos garantiu que não vai faltar dinheiro para o Plano Safra", afirmou Coriteac.
 

Comentar