Câmara cobra utilização consciente de novo trator agrícola

Adélcio mencionou frota sucateada, já existente na Prefeitura e atacou: "Governador só faz isso em ano de eleição"

A entrega de um novo trator para a diretoria agrícola foi alvo de discursos, na Câmara dos Vereadores, na sessão de segunda-feira (26). Os parlamentares enalteceram a iniciativa do Governo do Estado, porém, fizeram a observação: é preciso dar uso consciente e democrático ao veículo. O maquinário foi enviado a Piedade em atendimento a emenda parlamentar do deputado federal Herculano Passos (PSD).

“Os membros do Legislativo, como fiscais da população, devem acompanhar de forma será utilizado esse equipamento”, afirmou Adélcio de Jesus (PSB). De acordo com ele, dos 10 tratores existentes na Casa da Agricultura, sete estão em péssimo estado. Ele também colocou em dúvida as reais intenções do Executivo paulista ao enviar o benefício a Piedade. “De nada adianta o governador enviar um trator, em época de eleição, quando temos outras máquinas necessitando de manutenção”.

O discurso de Adélcio irritou o presidente da Câmara, vereador Camarão Prestes (PSD) – autor do pedido de emenda que culminou na entrega do veículo. “Falam que é tempo de eleição, mas pelo menos se trata de algo que está ajudando Piedade”, disparou. “É preciso tomar cuidado com o que se fala, ou serão criadas polêmicas nesta Casa e serei obrigado a responder em ‘altas alturas’”, ameaçou Prestes. Ainda em sua concepção, o trator agrícola chega em boa hora e está em excelente estado de conservação para atender à demanda, enquanto as demais máquinas recebem reparos.

 

Fiscalização – O presidente da vereança, todavia, reconheceu que os tratores da Prefeitura, de fato se deterioram rapidamente. Ele sugeriu um trabalho de acompanhamento, por parte dos parlamentares, para garantir o bom uso e manutenção do novo equipamento.

Adélcio de Jesus fez o adendo de que um maquinário dessa natureza, novo, dura cerca de 10 anos. Uma vez que o veículo da diretoria agrícola atenderá vários produtores, ele estimou uma vida útil de sete anos sem apresentar problemas mecânicos. “É preciso que seja feito um cronograma de trabalho dos tratores, passível de acompanhamento por parte desta Casa”, sugeriu.

Maurinho Machado (PT), por sua vez, afirmou que os recorrentes problemas técnicos que afligem a frota antiga sinalizam que algo de errado acontece. Para ele, a falha pode estar na maneira como é feita a manutenção desses equipamentos. “Trata-se de um trabalho que precisa ser preventivo. Não se pode esperar o defeito para, só então, enviar o trator para o mecânico”, avaliou.

 

Acesso – Com experiência profissional na Casa da Agricultura, o vereador José Anézio (PP) cravou: a vinda do maquinário é importante, desde que ele chegue de fato ao produtor rural e tenha utilização. Segundo o parlamentar, ainda falta à diretoria agrícola um trabalho de orientação ao homem do campo – principalmente aqueles que não possuem talão do produtor.

“Muitas vezes, o lavrador precisa da Patrulha agrícola, mas recebe, somente, a resposta de que não é possível”, comentou. “É preciso dar uma explicação, mostrar a eles os meios para que ele venha a regularizar sua situação”, opinou.

Na avaliação de Anézio, se os produtores não tiverem um atendimento adequado, no momento de solicitar o benefício, o acesso ao novo trator ficará bastante restrito. “Deixar essa máquina só para enfeite não compensa, até porque o Natal vai demorar a chegar”, ironizou. 

Comentar