Comércio on-line cresce 22% na região de Sorocaba

O faturamento do comércio eletrônico na região de Sorocaba atingiu R$ 158,5 milhões no terceiro trimestre de 2017, alta de 22% em relação ao mesmo período de 2016. Os dados são da pesquisa realizada pela Fecomercio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), em parceria com a Ebit. No acumulado de 12 meses - de setembro de 2016 até setembro do ano passado -, entretanto, as vendas do e-commerce na região caíram 2,2%. 

De acordo com Fernando Soranz, presidente do Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Sorocaba), com base nos dados levantados pela Fecomercio, o resultado do trimestre é o segundo pior desempenho do Estado nessa base comparativa.

O número de pedidos no terceiro trimestre do ano, segundo a pesquisa, alcançou 379 mil, ante os 296 mil do mesmo período de 2016, um aumento de 27,9%. O tíquete médio, ou seja, faturamento por pedido, caiu 4,6% ao passar de R$ 438,38, no terceiro trimestre de 2016, para R$ 418,27, no mesmo período do ano passado. Mesmo assim, o tíquete médio da região está acima da média estadual, que em 2016 era de R$ 382,09 e depois passou para R$ 401,5 em 2017. 

A participação do e-commerce no faturamento do varejo geral da região teve leve avanço de 0,2 ponto porcentual ao passar de 1,6% para 1,8%, mas foi a menor proporção entre as 16 regiões analisadas, empatada com a região de São José do Rio Preto. 

De acordo com a Fecomercio, tanto o varejo físico quanto o eletrônico continuam sinalizando retomada das vendas, motivada pelo ambiente macroeconômico mais favorável com uma inflação mais controlada e trajetória de queda nas taxas de juros. No caso do comércio eletrônico, dois fatores importantes, segundo a entidade, também contribuem para esse movimento. O primeiro deles é o investimento em plataformas de vendas via marketplace, oferecendo ao consumidor uma maior diversidade de produtos, além de aumentar a rentabilidade do negócio. O segundo é o investimento em aplicativos e na melhora das funcionalidades e da visualização do site nos dispositivos móveis. 

(Com informações do Jornal Cruzeiro do Sul)

Comentar