Diretor Agrícola quer organizar produtores

Elton mencionou vantagens de associações e cooperativas e, também, prometeu "colocar ordem" na Ceabasp

Em entrevista à Folha de Piedade, o novo diretor de Agricultura, Elton Santos, afirmou que uma de suas prioridades é a organização dos produtores rurais. Na opinião do gestor, somente dessa forma poderá se discutir, de forma efetiva, os problemas de comercialização que tanto afligem o trabalhador rural.  Para Elton, associações e cooperativas configuram na melhor opção para o agricultor sair das mãos dos nefastos atravessadores.

“O grande problema, hoje, é que o produtor rural não está organizado. Se alguém encomenda uma grande quantidade de hortifrútis, para entrega imediata, dificilmente ele consegue atender, pois não há uma programação”, argumentou o diretor agrícola. Ele lembrou que Piedade já conta com três entidades desse tipo, duas delas – Apprupi (Associação dos Pequenos Agricultores Rurais de Piedade) e Cofarp (Cooperativa dos Produtores Familiares de Piedade – muito bem estruturas e que conseguem recursos. “Agora, temos a Nova Geração, uma cooperativa, em vias de iniciar atividades. O produtor precisa se atentar às oportunidades que isso abre”, sublinhou.

Elton admitiu, todavia, que existe o desafio referente ao convencimento, dada a tradição e conservadorismo que predominam no meio rural. “A solução é sair à roça, fazer assistência rural”, defende. “Sempre mostro a eles (agricultores) que algumas de suas demandas seriam atendidas de modo mais fácil, caso houvesse uma organização”, continuou. “Explico que, dessa forma, consigo brigar muito mais por eles e ir atrás de verbas, maquinários e linhas de crédito”.

 

Qualidade – No passado, o município teve duas importantes associações rurais, a Associação dos Produtores de Morango e a Associação dos Produtores de Alcachofra. Ambas, porém, acabaram por encerrar atividades. O maior problema foi, justamente, garantir um padrão de qualidade nos produtos ofertados ao mercado.

Elton reconheceu que há dificuldades quanto a isso. Ele opinou que, primeiramente, tais entidades devem fazer um diagnóstico delas mesmas. “Esses grupos devem pensar, prioritariamente, no que conseguem produzir em grande escala e com maior quantidade”, afirma. “De nossa parte, a diretoria agrícola oferece trabalho de extensão rural no preparo e condicionamento do solo, orientações sobre épocas de plantio etc”.

 

Ceabasp – Durante a entrevista, o responsável pela Casa da Agricultura se manifestou sobre um assunto espinhoso. Criada para, em tese, auxiliar o pequeno produtor, a Ceabasp (Central de Abastecimento e Distribuição de Piedade) acabou tomada por atravessadores e pessoas que utilizam de sua estrutura, gratuitamente, para fazer negócios. A antecessora de Elton, Heloísa Favara, tentou emplacar projeto de lei para regularizar o uso da estrutura, contudo, esbarrou em impasse político com a Câmara dos Vereadores.

Mas, no que depender da atual gestão agrícola, garantiu Elton, essa história irá mudar. “Desde que existe, a Ceabasp não é utilizada de acordo com critérios legais”, disparou. “Estamos levantando custos e planilhas para, no momento adequado, nos sentarmos com todos os envolvidos e discutir uma resolução”.

A respeito do problema com alguns vereadores, o diretor diz que pretende acionar o Gabinete para auxiliar na resolução do impasse. “Vamos conversar com eles, também. Reconheço que mexer na Ceabasp é algo polêmico, mas essas pessoas têm de entender que o município, como um todo, sai perdendo nessa situação”, argumentou.

 

 

Comentar