Empresária rebate pesquisa sobre vida sexual do piedadense

Inácia Tacach: "Todos querem e têm o direito de serem felizes na intimidade”

Para Inácia Tacache, proprietária do único sex shop do município, a libido do piedadense vai muito bem, obrigado. Ela diz não concordar com o resultado de pesquisa publicada recentemente pelo ProSex e Instituto Casal. Segundo o estudo, a crise econômica se transformou na maior causadora de insatisfação para os casais estáveis. Jovens, idosos, lavradores e comerciantes entrevistados aleatoriamente admitiram enfrentar dificuldades na cama.

Mas, se o termômetro da vida sexual do município for as vendas de produtos eróticos, comenta Tacache, a intimidade do pessoal anda bastante saudável. “Aqui, o movimento não caiu. Temos nossos clientes, que estão sempre em busca de novidades para a relação”, explica. “Acredito que, hoje, a mentalidade é mais aberta às inovações que o mercado de sex shop nos oferece”, completa a comerciante.

Para embasar sua tese, Inácia menciona que, quando comprou a loja, os produtos comercializados eram mais conservadores. “Eu comecei a trazer coisas mais ousadas e o pessoal aceitou bem”, revela, ressalvando que o segredo é trabalhar com opções para todos os perfis de clientes. “Todos querem e têm o direito de serem felizes na intimidade”, aponta.

A respeito da repercussão da divulgação do estudo, a dona do sex shop admite que assuntos referentes à vida íntima ainda geram polêmica e, entre alguns, certo desconforto. Mas, continua Inácia, o conservadorismo em relação ao tema já não é tão forte, em Piedade. “No fundo, somos pessoas bem resolvidas e gratas por tanta facilidade de informações para aproveitarmos, ao máximo, o potencial de seduzir, amar e ser amados”.

Comentar