Evento apresenta soluções regionais para desenvolver turismo

Diretor de Turismo, Hugo Casoni: "Empresários precisam se conhecer e fazer negócios"

Colocar empresários em contato, facilitando a realização de novos negócios em um roteiro que abrange quatro cidades: Piedade, Pilar do Sul, São Miguel Arcanjo e Tapiraí. Esse foi o objetivo do 1º Workshop Negócios de Turismo de Altos de Paranapiacaba, promovido pela Diretoria de Turismo e pelo Comtur (Conselho Municipal de Turismo). O evento aconteceu na última quarta-feira (14), no Olinda Country Club.

Os participantes montaram estandes ao longo do salão, com direito a degustação e apresentação de seus produtos, empreendimentos e serviços. Pousadas, restaurantes, hotéis, alimentos artesanais e passeios temáticos foram alguns dos segmentos representados. 

Em discurso de abertura, o diretor de Turismo de Piedade, Hugo Casoni, contou que a ideia do evento surgiu em 2017, após descobrir que muitos empresários do trade ainda não conheciam uns aos outros. “Colocar essas pessoas em contato é colaborar para fortalecer o mercado. Assim nasceu nosso workshop”, explicou. “Para que o projeto ficasse ainda melhor, decidimos envolver mais três cidades, num roteiro regional. Dessa forma, as ideias e propostas circulam entre um número maior de pessoas”.

 

"Não esperem apenas ações do poder público. Quem, de fato, faz o turismo acontecer é a iniciativa privada", Jarbas Favoretto

 

Potencial – Para o prefeito José Tadeu de Resende (PSDB), a iniciativa deverá render bons frutos. Ele destacou a importância de ações conjuntas entre os envolvidos e mencionou, a título de exemplo bem sucedido, as cidades europeias. “Não existe turismo de um lugar só”, resumiu. “Se não houver união, não conseguiremos sair do lugar. Temos de aproveitar o imenso potencial de nossa região, na produção de alimentos, no turismo rural e no segmento ecológico”, discursou o chefe do Executivo.

Presente na abertura do evento, Jarbas Favoretto, presidente da Amitur (Associação dos Municípios de Interesse Turístico), endossou a fala de Tadeu. “Há muitos anos, eu visitei Brotas e digo: não havia nada além de árvores. A região de vocês, por outro lado, é riquíssima e tem muito a oferecer. Se Brotas conseguiu se tornar a potência que é hoje, Altos do Paranapiacaba também pode. Toquem o barco e não esperem apenas ações do poder público. Quem, de fato, faz o turismo acontecer é a iniciativa privada”, disparou.

“Este evento vem para fortalecer a região. Não podemos querer os turistas, exclusivamente, para nosso empreendimento ou município. Ele tem de circular pelas cidades e, com isso, fortalecer a economia”, opinou a presidente do Comtur, Andreia Taddei Ivo. Segundo ela, o empresariado das quatro cidades envolvidas tem plenas condições de agradar e bem atender o visitante, em diferentes segmentos.

Ainda na visão de Andreia, os empreendedores locais têm buscado investir e se capacitar, para colher frutos. “É um mercado em ascensão e que já começa a aquecer nossa economia”, pontuou.

 

"É preciso haver a união das cidades para que possamos avançar", Tadeu de Resende

 

Mercado – O secretário de Turismo de Ibiúna, Sandro Cobello, disse enxergar de forma positiva os passos de Piedade rumo ao desenvolvimento do setor. Para ele, os empresários do município já se encontram em estágio bastante evoluído no que diz respeito à exploração do potencial turístico, principalmente na área rural.  “A questão agrícola é muito forte, não apenas no território piedadense, mas nas cidades vizinhas. Há uma oportunidade imensa de se trabalhar produtos típicos de cada uma dessas localidades, como alcachofra, mel, gengibre, uva e vinho”, analisou.

Sobre a roteirização, Cobello mencionou que o Ministério do Turismo tende a enxergar as localidades como “regiões turísticas”, no momento de se discutir investimentos e subsídios. “Por isso, é essencial construir um trabalho no qual uma cidade complemente a outra”, finalizou.

Comentar