Idosos estão cada vez mais ativos na internet

Ricardo da Nova Nett diz que demanda de idosos por cursos de informática é bastante considerável

Facebook, WhatsApp, Instagram...termos que, ainda há pouco tempo, eram utilizados pelos jovens estão cada vez mais presentes no vocabulário dos vovôs e vovós. De acordo com pesquisa do Cetic (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação), a população idosa está cada vez mais conectada. Entre 2012 e 2016, a porcentagem de brasileiros com mais de 60 anos que usa internet cresceu de 8% para 19%.

"Existe uma questão de estar conectado com o mundo de hoje. Há quase uma obrigação de saber usar a internet para conversar com os familiares e, também, para entender o que é estar no mundo. É uma ponte para estar presente, ter assunto", diz Tatiana Fraga, diretora do Espaço de Convivência do Idoso, no Parque da Água Branca, em São Paulo.

Em Piedade, esse fenômeno também é perceptível. Ricardo Antunes, da escola Nova Nett, diz que o número de pessoas da Melhor Idade, interessadas em cursos de informática, vem crescendo. “Diferentemente dos jovens, que buscam por módulos profissionalizantes, essas pessoas querem aprender a usar os recursos digitais para consumir informações e se comunicar com parentes”, explica.

Na opinião de Ricardo, a popularização dos smartphones tem papel fundamental na migração desse público para os meios digitais. “Por meio desses aparelhos, eles têm compreendido melhor as facilidades oferecidas pela tecnologia. Aprendem que é simples fazer uma transação bancária, buscar rapidamente por uma receita ou notícia”, enumera.

Ainda de acordo com Ricardo, outra demanda bastante considerável é a de idosos que procuram a Internet para reduzir as distâncias com familiares que, muitas vezes, vivem em outros estados e países. “Temos muitos alunos interessados em aprender a usar ferramentas como Skype e WhatsApp”, revela. “Afinal, por meio desses aplicativos eles conseguem fazer contato, em tempo real, com esses parentes sem pagar as altas taxas de um interurbano ou ligação internacional”, conclui.

 

 

Comentar