Lojistas da Comendador Parada pedem fim do estacionamento 45º

Comerciantes alegam que perderam vaga e querem tratamento igual ao dado por Prefeitura na Rua Cônego José Rodrigues

A medida do governo municipal de retomar o sistema de estacionamento em 180ª na Rua Cônego José Rodrigues continua a gerar polêmica. Além dos motoristas e munícipes que condenam a subserviência da Prefeitura aos interesses de alguns empresários, lojistas da Rua Comendador Parada se dizem discriminados pela iniciativa. Eles, que assinaram em conjunto o documento pedindo a volta do estacionamento antigo, questionam o porquê de a Prefeitura ter feito concessões, somente, a um determinado grupo. Assim como os colegas, alguns desses comerciantes também querem o fim do sistema 45º.

“É complicado, pois as vagas diminuíram. Eu contei e comprovei isso. Dessa forma, não é justo que a Prefeitura só arrume um dos lados do centro comercial e deixe o outro, onde estamos instalados, do jeito que se encontra”, desabafou o empresário Wilson Roberto Cardoso, em conversa com o repórter da Folha de Piedade. “Eu mesmo, nas vezes em que precisei carregar e descarregar mercadorias, não encontrei lugar próximo para estacionar”, completou.

De acordo com os com todos os comunicados enviados pela Prefeitura, entretanto, não há notícia de que o sistema de estacionamento na Comendador Parada sofrerá alterações.
 

Mudança – Na Rua Cônego José Rodrigues, o estacionamento retrocedeu ao sistema 180º no dia 2 de outubro. Os motoristas passaram alguns meses tendo à disposição o modelo 45º, contudo, o prefeito José Tadeu de Resende (PSDB) optou por retomar o método antigo para atender aos pedidos de alguns comerciantes. Eles alegavam, entre outras coisas, que o estacionamento em 45º afastou os consumidores do centro. 

Comentar