Novo Hospital Regional inicia atendimentos de urgência

Hospital foi construído por meio de Parceria Público Privada (Foto: Divulgação)

Em comunicado emitido pelo Departamento Regional de Saúde ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba, foi informado que o novo Hospital Regional de Sorocaba ,"Dr. Adib Domingos Jatene", construído às margens da rodovia Raposo Tavares, oferece atendimento de urgência e emergência desde hoje, segunda-feira (4).

Conforme o comunicado, os atendimentos terão início pelas especialidades de ortopedia e cirurgia geral para adulto. A Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) fará a regulamentação de quem e quando esses atendimentos deverão ocorrer. 

O documento ainda salienta que o novo hospital tem seu atendimento 100% regulado, e sendo assim, não serão aceitos os atendimentos por demandas espontâneas, que não sigam o fluxo de regulação em urgência e emergência. Ou seja, o atendimento não será de portas abertas. Com a medida, todas as unidades solicitantes, incluindo o SAMU e Corpo de Bombeiros, deverão acionar a Central solicitando a disponibilidade de vaga no novo hospital. Esse rito é válido também para as concessionárias que administram as rodovias da região e que utilizam atualmente do CHS para o envio de pacientes. 

Inaugurado em 31 de março, o hospital é o primeiro do Estado construído por meio do modelo de PPP (Parceria Público-Privada), que prevê que a empresa parceira explore os serviços administrativos do hospital.

O funcionamento está a cargo de duas entidades. A parte médica e de gestão dos atendimentos em saúde, chamada de "bata branca", ficará por cinco anos com a OSS (Organização Social de Saúde) Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Já a empresa Inova Saúde, do grupo Construcap, além da construção do complexo, cuidará por 20 anos da chamada "bata cinza", que corresponde à administração dos serviços não assistenciais, como logística farmacêutica, centro de esterilização de materiais, almoxarifado, recepção, limpeza, alimentação, segurança patrimonial, estacionamento, restaurantes/cafeterias e compra de equipamentos. 

Segundo o que informou a pasta em abril, inicialmente o hospital prestaria atendimento ambulatorial nas especialidades de cirurgia geral, cirurgia plástica, ortopedia, urologia, anestesiologia, cardiologia clínica, fisioterapia e reabilitação. 

A previsão inicial é que o hospital, que tem 27 mil metros quadrados de área construída, quando estiver funcionando em plena capacidade, realize por ano 12 mil internações, 6 mil cirurgias, 4 mil consultas e 25 mil exames especializados. A nova estrutura demandou investimentos, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, de R$ 269 milhões e deverá atender a casos de média e alta complexidade. Ao todo são 260 leitos, dos quais 96 para UTI.

Comentar