Novo júri condena “João Louco” a 24 anos de prisão

Em julgamento realizado nesta quinta-feira (7), João Luiz Gustavo Sonnenberg, o “João Louco”, foi condenado por homicídio triplamente qualificado. A pena estabelecida pela Justiça foi de 24 anos de prisão, inicialmente em regime fechado. O réu foi acusado de assassinar o lavrador Aguinaldo França, após um desentendimento no bairro Caetezal, em janeiro de 2014.

A condenação é reflexo da anulação do júri ocorrido em 2015 – ocasião em que os jurados afastaram a alegação de homicídio, considerando que João havia incorrido em lesão corporal seguida de morte. Ele havia sido condenado a sete anos e 10 meses de prisão. O Ministério Público, no entanto, recorreu da decisão e conseguiu que fosse marcado novo julgamento.

Hoje, no Fórum, João Louco ouviu sua nova condenação. Demonstrando estar inconformado, ele chorou enquanto o juiz Cassio Mahuad lia a sentença. Ao final dos trabalhos, enquanto era escoltado por policiais, o réu se aproximou de sua mãe, beijou-lhe a testa e disse: “Eu te amo, mãe”.

Pela nova condenação, Sonnenberg teria de cumprir cerca de 18 anos para conseguir a progressão. Ele está encarcerado há quatro anos e meio, período que já conta como cumprimento da pena.

 

Recurso – O advogado de defesa, Alexandre Carvajal, declarou que pretende recorrer da decisão. Além disso, a pesquisa ao site do STJ (Superior Tribunal de Justiça) mostrou a existência de um pedido de habeas corpus, em favor do réu, para que o júri desta quinta-feira seja anulado. A linha argumentativa de Carvajal é de que deve ser respeitada a soberania do júri anterior. 

Comentar