Secretário teria confirmado ideia de levar creche ao local

 “Nós, de fato, queremos fechar a escola e colocar a creche Vovó Xanda no imóvel”. A frase seria do secretário da Educação, Felipe Campanholi, dita à representante do empresário Maurício França, Edilaine Boleli, na tarde da última quarta-feira (20). “Ele (Felipe) nos telefonou e, durante a conversa, acabou por admitir a intenção da Prefeitura”, afirmou ela, em conversa telefônica com o repórter da Folha de Piedade.

A informação assegurada por Boleli pode confirmar a principal acusação feita pela comunidade do Piratuba à Secretaria da Educação. Na reunião de 15 de setembro, alguns pais já haviam dito que o intuito da Administração era deixar o prédio livre para a creche filantrópica administrada pelo casal Alaíde e Sérgio Ramos – amigos pessoais do prefeito Tadeu e do secretário Felipe. Na ocasião, tanto Campanholi quanto Sérgio Ramos despistaram e deram respostas vagas a respeito do assunto.

“Querem mandar nossas crianças para o Garcias, numa unidade sem estrutura, para trazer a creche Vovó Xanda a este prédio. Isso é imoral”, criticou Rita Queiroz, mãe de aluno, tendo o endosso de outros munícipes presentes. A informação foi rebatida por Felipe. Ele admitiu que a entidade recebe dinheiro da Prefeitura e se manifestou de forma enigmática a respeito da polêmica. “Não digo que isso não procede, mas a creche é uma instituição particular. Se o Sérgio e a Alaíde procurarem o proprietário do terreno e entrarem em acordo, será um problema entre eles”, comentou. Cabe lembrar que, dia antes da reunião, Campanholi publicou foto de passeio de lancha, na represa de Itupararanga, em companhia do casal responsável pela entidade. O filho do prefeito municipal, Thadeu Moreni Resende, e sua esposa, Jaqueline Rimes – empresária do setor imobiliário –, também aparecem na imagem.

Sérgio Ramos, por sua vez, admitiu que a ideia foi aventada. Porém, um suposto imbróglio entre os herdeiros dificultaria a empreitada. “Se eu conseguir resolver a questão jurídica do terreno e se isso representar vantagens para nossas crianças em termos de conforto, instalações e acessos, o interesse existe”, confirmou. “Porém, cientes da situação do imóvel, dificilmente viríamos. Não colocaríamos dinheiro em algo que, amanhã ou depois, pode vir a ser tirado de nós”, ressalvou. Ainda de acordo com Sérgio Ramos, a principal vantagem da instalação da creche seria dar uso a um prédio que ficaria abandonado. Além disso, ele aventou a possibilidade de disponibilizar serviços e atividades à comunidade, como cursos para geração de renda e alfabetização de jovens e adultos.  

Comentar