Sindicato diz que população deve colocar a culpa em Tadeu

Presidente do sindicato, Marquinho Coletor, protocolou denúncia na Câmara Municipal

Em documento protocolado à Câmara e enviado à Imprensa, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais afirmou que a culpa pelo colapso na coleta do lixo cabe à Prefeitura e não aos trabalhadores. “Trata-se de circunstância vivida pelos funcionários, com reflexo direto na população que, desinformada, credita a crise aos servidores e não aos Administradores Públicos”, diz a nota. A entidade acrescenta que, para normalizar a coleta, espera-se que haja tratativas entre o Executivo e o funcionalismo.

De acordo com o sindicato, a coleta é realizada por setor que detinha 20 pessoas para cobrir uma área de, aproximadamente, 746,9 quilômetros quadrados, pelo período de 60 horas semanais. Porém, desde setembro do ano passado, alguns servidores teriam sido afastados das funções sem qualquer motivo aparente ou aviso antecipado. Em entrevista à Folha de Piedade, o presidente da entidade de classe, Marquinho Coletor, afirmou que se tratava de uma represália contra os trabalhadores.

A medida, continua o texto, desestruturou toda a rotina de trabalho. “É evidente que com a redução do quadro, o serviço foi frontalmente prejudicado”, argumenta. “O quadro, tornou-se caótico, pois a particularidade desse serviço requer condições diferenciadas de trabalho para que seja preservada a saúde dos servidores, o que não vem ocorrendo atualmente”

 

Novas denúncias – Ainda segundo a nota, os funcionários da coleta têm trabalhado de forma ininterrupta por nove horas diária, sem descanso semanal remunerado e sem receber adequadamente. O relógio de ponto, de acordo com o sindicato, só foi ativado no mês de novembro. 
 

Leia também
Coleta entra em colapso e chove críticas a Tadeu
Sindicato diz que falta estrutura e denuncia perseguição
Prefeitura abre sindicância contra coletores

 

Comentar