Tadeu pode gastar R$ 7,9 milhões em aluguel de máquinas

Empresa faz serviços de recapeamento na marginal (Foto: Arquivo)

Foi publicado no jornal Município de Piedade, em meados de abril, que o Executivo voltará a investir em locação de maquinário – inclusive caminhões de lixo. De acordo com os dados da imprensa oficial, a Administração poderá investir até R$ 7,938.535 nessa finalidade. Os contratos estabelecem, ainda, que além dos equipamentos haverá fornecimento de mão de obra especializada. A Prefeitura não respondeu para quais projetos serão direcionados esses recursos.

No total, são cinco atas de registro de preço. A primeira delas, no valor de R$ 759 mil, refere-se a dois caminhões para a coleta de lixo, disponibilizados pela empresa Era Técnica Engenharia Construções e Serviços LTDA. No segundo documento, a municipalidade faz a locação de dois caminhões trucados, um caminhão pipa, um caminhão espargidor com bomba, três rolos compressores, uma vibroacabadora com esteira, uma máquina extrusora de guias, duas compactadores e uma cortadora de pavimento. A cessão dos equipamentos, pelo período de um ano, ficará por conta da Pluri Rental Comercial Locações, a custo que pode chegar a R$ 2,067 milhões.

Com a empresa Hunter Comercial Locações, Tadeu e sua equipe firmaram o contrato de maior valor: R$ 5.299.950,00 pela utilização de dois caminhões basculantes, um caminhão trucado, quatro escavadeiras hidráulicas, duas motoniveladoras, uma pá-carregadeira, três retroescavadeiras, um rolo compactador e dois tratores de lâmina. Com a mesma companhia, registrou-se outra ata, de R$ 506.585,00, referente a cinco caminhões das seguintes categorias: pipa, baú, munk, frigorífico e trucado.

Com a empresa Obragen, a Administração firmou contrato de, até, R$ 132 mil, para local um trator agrícola, uma mini escavadeira e duas mini carregadeiras.

 

Segunda vez – No ano passado, o prefeito José Tadeu de Resende (PSDB) também “terceirizou” a Garagem Municipal, por valor que poderia chegar a R$ 6,287.801. Na ocasião, ele prometeu que o investimento possibilitaria dar boas condições a todas as estradas de Piedade, até dezembro de 2017. A premissa, porém, não se concretizou e 2018 teve início com um grande volume de reclamações por conta de pistas extremamente mal conservadas.

A Prefeitura foi questionada sobre os contratos de 2017 e a possibilidade de que o aporte de dinheiro no aluguel de maquinários tivesse, novamente, resultados pífios. Porém, como já se tornou comum, a Assessoria de Imprensa do Executivo não respondeu às perguntas da Folha de Piedade Online.

Comentar